Casa das Anas

A Casa das Anas é um abrigo para mulheres em situação de rua com ou sem filhos. Nosso objetivo é acolher pessoas que atualmente estejam em situação de rua, sem referência familiar e moradia convencional. Oferecemos proteção social, apoio para restauração e fortalecimento dos vínculos familiares e atividades para elevar a autoestima; com a finalidade de construir novos projetos de vida.

 

Enquanto a violência e o medo impelem essas mulheres cada vez mais para uma condição vulnerável, a equipe da Casa das Anas oferece esperança, amor, fé e uma oportunidade de mudança de vida.

 Durante os 3 anos de existência, os números são impressionantes: já foram acolhidas mais de 100 pessoas; mais de 70% das famílias que já desabrigaram, passaram a residir em suas casas ou retornaram par suas famílias.

 O formato deste acolhimento, que atende única e exclusivamente mulheres, é inédito em todo o estado de São Paulo e ainda não há conhecimento de relatos que se assemelhem a este projeto.

Além de acolher as mulheres, a equipe matricula os filhos nas escolas, monitora visitas periódicas a médicos, localiza e entra em contato com familiares, orienta e auxilia no retorno aos estudos, cursos profissionalizantes e mercado de trabalho.

As moradoras recebem atendimento de assistente social e psicóloga; contamos ainda com o apoio de nutricionistas, esteticistas, oficinas de cabeleireiros, maquiagem, culinária, artesanato entre outras atividades.

O projeto se enquadra em 5 das 8 metas do milênio da ONU, uma vez que rompendo com a situação de rua, contribuímos para a diminuição da fome e da miséria; providenciamos educação de qualidade, valorização da mulher em sua reinserção ao mercado de trabalho; ao cuidar de seus filhos, os retiramos da faixa de risco de vida e proporcionamos qualidade de vida ao darmos ferramentas e conhecimento para uma convivência justa em sociedade.

 

Histórias de superação

Alexsandra

Nascida em Santos, caçula de 5 irmãos e órfã desde a infância, morava com a avó e o irmão em Recife. Aos 16 anos, após conflito com a família mudou-se para a casa da sua tia em São Vicente.

Pouco tempo depois se mudou para Minas Gerais, onde passou a viver sozinha. Recebeu um convite para ser garota de programa na Espanha; foi para Madrid se prostituir e lá teve seus documentos roubados.

O uso de drogas passou a ser a rotina na vida de Alexsandra e sua vida virou um espiral descendente. Após ser violentada,  engravidou e a criança permaneceu na maternidade e foi encaminhada para a adoção. 

Depois de 5 anos foi deportada para o Brasil e teve mais um filho, que hoje está sob cuidados da tia. Devido a desentendimentos com a tia, passou a morar nas ruas e abrigos, momento em que teve um nova gestação e foi encaminhada para a Casa das Anas. 

Durante a gravidez decidiu parar de usar drogas e demonstrou desejo de cuidar do filho. A Casa fez chá de bebê  e após o nascimento dessa criança, Alexsandra se tornou uma ótima mãe. Foi encaminhada para o mercado de trabalho, exercendo a função de auxiliar de limpeza. Após alguns meses, alugou uma casa onde mora com seu filho. Atualmente tem planos de construir uma casa própria.

 

 

Andréia,outra história de superação…

Sua história tem início no Paraná, onde morava com os pais. Após a separação, sua mãe com os filhos passaram a morar na rua. O pai levou Andréia para morar com ele e a madrasta, que a maltratava. Sem condições de criá-la, seus pais decidiram entregá-la para um casal que tinha o desejo de ter uma filha. O que deveria ser um final feliz, passou a ser um pesadelo., pois ela era constantemente abusada pelo pai adotivo e decidiu fugir para São Paulo.

Na adolescência mudou-se para  São Sebastião, onde teve uma filha. Depois de inúmeros conflitos, Andréia se afastou da família e ao retornar três meses depois, não encontrou mais a filha e nem o companheiro.

Teve outro relacionamento por 17 anos, tempo em que a bebida alcoólica entrou em sua vida. Após a morte deste homem, se desestruturou emocionalmente  e se afundou no vício do álcool. Mudou-se para Santos, passou a viver em situação de rua e em abrigos face ao alcoolismo e desemprego.

Na Casa das Anas, descumpria as regras internas e permaneceu com o vício. Trabalhou durante um mês em uma farmácia, mas ao receber o primeiro salário, gastou tudo em bebida. Foi encaminhada para outro trabalho, porém sempre recaía na bebida. Ficou internada por 9 meses numa clínica de recuperação, mas ao sair, recaiu novamente. Foi para uma comunidade terapêutica, ocasião que com o auxílio de uma amiga, reencontrou a filha após 25 anos de busca.

Desde então a sua vida mudou completamente. Mantém contato diário com a filha e neto, foi morar em sua casa, e há vários meses trabalha como atendente num comércio local. Tem planos de trazer a filha e neto para morar com ela, como sempre sonhou.

 

Matérias:

1) Casa das Anas já atendeu 43 mulheres em dois anos de funcionamento

http://www.atribuna.com.br/noticias/detalhe/noticia/casa-das-anas-atende-46-mulheres-em-dois-anos/?cHash=e933c0750906721a7d067df611cacbf9

 

2) Dia da Mulher: Casa das Anas espelha histórias de superação

http://www.santos.sp.gov.br/?q=noticia/896280/dia-da-mulher-casa-das-anas-espelha-hist-rias-de-supera-o

 

3)Um lar que acolhe e prepara o renascer

http://www.atribuna.com.br/hotsites/comunidade-em-acao/noticias/single/noticia/um-lar-que-acolhe-e-prepara-o-renascer/?cHash=b2c6eb79a484dda0ce6326089aa7b4bf

 

4) TV TRIBUNA: Casa das Anas ajuda mulheres em situação vulnerável em Santos

http://g1.globo.com/sp/santos-regiao/jornal-tribuna-1edicao/videos/v/casa-das-anas-ajuda-mulheres-em-situacao-vulneravel-em-santos/5709031/

 

Dia de princesa

 

Fotos:

Atividades em grupo:

    

Comemoração Dia das Mulheres:

    

 

Chá de bebê:

    

Chá de cozinha:

             

Passeios:

   

             

Oficina de artesanato:

Aniversário:

 

Mais informações: vidasrecicladas.org ou (13) 3041-1849