Imprensa

Projeto da Prefeitura de Santos: Família Acolhedora.
Jaqueline faz parte da equipe ONG Vidas Recicladas e faz parte do projeto.

Estamos orgulhosos por sua iniciativa. Parabéns Jaque!!!

 

10422339_815593761828618_2318740090940391070_n

Casa das Anas : Abrigo para mulheres em situação de rua, com ou sem filhos.
Há mais de um ano transformando histórias.

 

Clique no link para ver a matéria:  http://www.recordlitoral.com/

A terceira conferência das Nações Unidas sobre redução de riscos de desastres naturais aconteceu de 14 a 18 de março de 2015, na cidade de Sendai no Japão, com o objetivo de traçar uma linha global de redução de riscos de desastres para os próximos 15 anos a partir do Marco de Ação de Hyogo (MAH), acordado em 2005, após o tsunami do Oceano Índico.

Entre as propostas brasileiras para o documento que foi homologado na plenária da conferência estão metas e iniciativas, como investimentos e desenvolvimento do senso de percepção de risco de desastres naturais pela população.

 

“Temos avançado para uma cultura que privilegia as ações de prevenção. Mas sabemos que ainda há muito a evoluir. Por isso, estamos prontos para colaborar na construção do marco de ação global com a finalidade de reduzir os riscos de desastres nos próximos 15 anos”, observou o ministro Gilberto Occhi.

 

Como uma das representantes da sociedade civil, e representante brasileira a ONG Vidas Recicladas marcou presença no evento conhecendo novas redes, formando parcerias e estreitando laços com o governo brasileiro, e mostrando sua ativa atuação na temática em sua base no Haiti, onde após o terremoto trabalha com as crianças

Desde que o marco de hyogo foi adotado em janeiro de 2005, houve mais de 3.400 desastres internacionalmente relatados causados por terremotos, inundações, tempestades, secas, ondas de calor e outros perigos naturais, resultando em 750.000 mortes. Cerca de 90 % das mortes por desastres ocorrem em países de renda baixo-média. Houve reduções significativas na mortalidade relacionada com o tempo em vários países, mas as perdas econômicas já ultrapassam regularmente 200 bilhões de dólares anualmente.

A ONG vidas recicladas apoia a causa e trabalha através da resiliência junto a sua coordenadoria de assuntos internacionais para que os índices diminuam.

 

No images found.

Fazer a diferença e provocar a mudança. Estas duas bandeiras norteiam a ONG santista Vidas Recicladas, que há 10 anos atua na cidade. Só que uma das principais missões da Organização não acontece em solo santista e, sim, no Haiti. É no país, que luta para se recuperar após um grande terremoto, que voluntários semeiam esperança e a oportunidade de mudar de vida. Nesta segunda-feira, 12 de janeiro, completa-se cinco anos do sismo de 7.0 na escala Richter.

 

Clique no link e leia a matéria completa:

http://www.boqnews.com/